barefoot

A ciência por trás do movimento barefoot

A ciência por trás do movimento barefoot

Descubra o que a ciência diz sobre correr descalço. Vale a pena?

A ciência do barefoot para corridas tem conquistado muitos seguidores. Mas, será que esses tênis são realmente tudo o que dizem? 

Durante muitos anos, vimos atletas do Quênia e da Etiópia ganharem maratonas de corrida ao redor do mundo. 

Na realidade, praticamente todo o continente africano possui excelentes participações em campeonatos e maratonas de corridas. 

Mas, esses dois países em específico se destacam.

 

A pergunta que fica é: como?

Com condições de treinamento tão precárias e escassez ao acesso de materiais de qualidade, como é possível?

Equipes internacionais embarcaram em pesquisas e análises para desvendar os segredos do sucesso dos corredores quenianos e etíopes em suas disputas esportivas.

Eles buscavam compreender seus métodos e estratégias, com o objetivo de decifrar o que os tornava tão bons em comparação com outros atletas ao redor do mundo.

Analisaram genéticas, biotipos… 

E pecaram no básico: não olharam para baixo, para seus pés descalços.

Viver o normal é se destacar.

img_01

Em 2009, Daniel Lieberman, professor de biologia evolutiva humana na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, realizou testes com corredores do Quênia.

Nos resultados, ele pôde perceber que ao correr com os pés descalços, os corredores estimulavam a aterrissagem com o antepé que, por sua vez, reduzia o impacto em relação a aterrissagem com o calcanhar (usando tênis).

Neste mesmo ano, o autor Christopher McDougall escreveu um livro afirmando que tinha “nascido para correr descalço”. No best-seller, ele conta a sua experiência de correr descalço após descobrir a prática com os indígenas tarahumaras, nativos das regiões montanhosas do México. Após o lançamento, seu livro vendeu milhões de cópias, atraindo milhares de pessoas para esse estilo de corrida “natural”.

E não parou por aí.

Em 2010, o mesmo professor de Harvard, Daniel Lieberman, afirmou que os calçados com solas mais altas e cheias de amortecimento eram os culpados pela aterrissagem acontecer nos calcanhares e por deixar os músculos dos pés enfraquecidos. 

Desde então, iniciou-se uma verdadeira discussão: há quem seja a favor e há quem seja contra. 

Após mais de uma década desde a divulgação desses estudos, uma ampla gama de novas pesquisas tem sido conduzida. A grande maioria dessas pesquisas afirma a força da ciência do barefoot nas corridas, comprovando seus benefícios inquestionáveis.

Mas, o que diz a ciência?

Ao correr com os pés descalços, o ângulo dos pés, as alterações biomecânicas nas passadas e a densidade do impacto, teoricamente, são responsáveis por tornar os pés mais fortes e mais sensíveis.

Quem é favorável ao movimento barefoot (pés descalços, na tradução), argumentam que correr descalço reduz os riscos de lesões e gera mais conexão com a natureza, aproveitando cada sensação ao pisar em diferentes superfícies. 

Alguns estudos recentes da USP, mostram que ao praticar corrida descalço, é possível aumentar o contato direto do pé com o solo, causado por um maior envolvimento dos músculos do pé e da panturrilha durante o exercício. 

Ao contrário do uso de tênis, onde muitas vezes adotamos padrões inadequados de corrida, ao correr descalço, somos naturalmente levados a apoiar o médio pé (a parte do meio), encontrando maior equilíbrio e consciência de espaço. 

Além disso, as funções das articulações do joelho e do quadril ganham movimentos mais eficientes e lineares, diminuindo as chances de lesões e problemas mais graves.

Já para os opositores à ideia, a falta de segurança ao correr descalço é um dos malefícios do barefoot. 

A hesitação surge da preocupação com a falta de proteção contra os riscos potenciais da atividade. 

Eles argumentam que ao correr sem calçados, há o receio de pisar em objetos que possam machucar os pés sem que sejam previamente identificados. 

Questões como estética, opções de compra e acessibilidade também estavam em pauta.

A FOT veio para revolucionar.

O pioneirismo e expertise do Fábio Jesus, CEO da FOT e Mestre em Educação Física e Fisiologia Aplicada à Performance Humana, foi responsável pela produção do primeiro tênis barefoot do Brasil.

Em uma de suas viagens aos Estados Unidos, ele percebeu que atletas de alto nível tinham um melhor desempenho ao utilizar tênis mais minimalistas, que ainda não existiam aqui. 

Ao retornar para o país, iniciou o processo de desenvolvimento da marca e dos tênis, se tornando referência nacional em barefoot.

“Existem alguns pré-requisitos para um tênis ser considerado barefoot: ele precisa ser muito flexível, ter toolbox largo, drop zero (mesmo nível no tênis todo) e da sola para a palmilha ter uma altura de 5/6mm. E a FOT possui todos”. 

Através de muitos estudos, testes e aperfeiçoamento, hoje a marca consegue proporcionar experiências incríveis para seus clientes. 

A ciência do barefoot para corridas foi reinventada, e hoje podemos usufruir em qualquer exercício físico e também na rotina diária.

Esse é o objetivo da marca: viver a liberdade dos pés descalços com proteção.

O barefoot ideal para você.

Você sabia que:

A cada redução de 100g no peso do calçado de corrida, obtemos um ganho de 1% na economia de corrida.

Essa é uma das vantagens em utilizar um tênis que respeita a forma natural do nosso corpo. 

Por ter um solado zero drop, seus pés ficam mais rentes ao chão, diminuindo a força aplicada nos tendões e articulações. Essa redução evita que doenças comuns, como por exemplo a canelite, atrapalhem seu rendimento.

Já o toe box mais largo, proporciona mais espaço para seus dedos, sem precisar pressionar um contra o outro. Assim, seu dedão pode ocupar seu espaço natural e dar mais equilíbrio ao corpo.

Com a sola ultra fina e super flexível, você pode sentir qualquer coisa ao pisar no chão. A sensação é de pés descalços, mas com proteção, dando mais estabilidade ao corpo e maior sensibilidade ao toque.  

E vai além. 

O tênis barefoot te reconecta com sua natureza e te ensina a viver de forma livre. 

Diariamente, você sentirá a liberdade em cada movimento dos seus pés com a certeza de que estarão protegidos.

Curiosidade: pés descalços vencem olimpíadas.

Abebe Bikila é um etíope, nascido na década de 1930 e é considerado um dos maiores maratonistas de todos os tempos. Nos Jogos Olímpicos de Roma, em 1960, o atleta viajou de última hora para substituir outro atleta que havia quebrado o tornozelo. 

A Adidas, que era patrocinadora oficial da Olimpíada na época, tinha poucos pares de tênis para Bikila escolher, já que os tênis não eram para ele. Depois de experimentar todos, ele tomou uma decisão que mudaria sua vida para sempre: decidiu correr descalço, do jeito que ele estava acostumado a treinar na Etiópia.

E ele fez seu nome.

Bikila não só venceu a maratona, como bateu o recorde mundial da prova e tornou-se o primeiro negro africano a conquistar uma medalha de ouro olímpica.

Em sua entrevista, ele disse que correr descalço nos treinos, muitas vezes, não era uma opção e que gostaria que o mundo soubesse que a Etiópia sempre conseguia vitórias com determinação e heroísmo.

 

Resumindo

Correr descalço pode transformar sua vida. 

Além de beneficiar seu corpo, você poderá elevar seu nível de desempenho de forma mais natural e saudável.

Com vários modelos diferentes, a Feet of Tomorrow te ajuda na hora de escolher o tênis barefoot ideal para você. 

E a partir dessa escolha, inicie a troca do tênis convencional para o barefoot de forma lenta e cautelosa. 

Abaixo, separamos alguns pontos importantes que podem te ajudar:

 

  • Inicie aos poucos, nada de exagerar no começo;

  • Escolha o lugar apropriado, onde você se sinta confortável;

  • Mantenha acompanhamento médico, principalmente no início;

  • Tenha uma boa alimentação;

  • Faça exames com frequência;

  • Consuma bastante água;

  • Evite lugares perigosos, deixe a aventura para depois;

  • Faça alongamentos nos pés, te ajudará na adaptação.

 

Assim, você conseguirá cuidar muito bem da sua saúde, utilizando uma técnica que proporciona inúmeros benefícios para o corpo e a mente.

Esse momento de transformação será uma experiência especial para você.

 

Para finalizar, 3 dicas para você iniciar hoje:

  • Vá devagar
    Até seu corpo se acostumar, vai levar um tempo. Por isso, ao praticar qualquer tipo de exercício físico, aumente de forma gradual a utilização do barefoot. Assim, você irá se acostumar da forma correta, sem sentir dores ou ocasionar algum tipo de lesão. Lembre-se que seu corpo se acostumou com o que não é natural, então voltar ao zero levará um tempo.

  • Escolha locais seguros
    Com o tênis barefoot, você sentirá muito mais sensibilidade ao caminhar. Opte por superfícies mais suaves e lisas, como chão de academia ou pista de atletismo. Vá fazendo testes até estar pronto para enfrentar um asfalto ou cascalhos, por exemplo.

  • Cuide dos pés
    Mantenha a higiene dos seus pés em dia, lave-os corretamente e passe hidratante. Em caso de alta sensibilidade ou dores nos pés, vá imediatamente ao médico. É primordial o acompanhamento de um especialista nesses momentos. 

O tênis barefoot veio para revolucionar a maneira de andar. Que tal voltar a viver o natural, com liberdade e proteção?

Reading next

A liberdade é melhor com companhia
Barefoot para iniciantes: um guia completo

Leave a comment

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.